Blanche DuBois é uma madura mais ainda atraente mulher, que gosta da virtude e da cultura como escudos para esconder sentimentos de amargura e desilusão além do vício do alcoolismo. Ao mesmo tempo em que foge da realidade, Blanche ainda busca atrair pretendentes.
As vezes ela fingia que não sabia o que estva acontecendo dentro da casa e queria que todos pensassem que ela era uma santa, as vezes eu mesma me perdi no filme e não entendia absolutamnete nada...

Geni Lira


Cypriano e Chan-ta-lan é um teatro de revista com uma estória. Uma tragicomédiaorgya com banda ao vivo, que canta as aventuras do príncipe Cypriano, herdeiro do trono de Golconda, em busca de sua amada Chan-ta-lan, simples camponesa, sequestrada por uma borboleta negra e levada para a selva da Colônia de Maracangalha. Durante anos Cypriano peregrina em busca do ungüento cor do tempo passando pela casa do Sol, da Lua e vivendo absurdos até que em Maracangalha encontra seu maior inimigo e seu amor e aí…
se quiser saber o fim dessa tragicomediorgya, só assistindo para saber.

Estréia dia 20 de novembro..., mais informações em breve...
" Má Educação" e "Morangos Silvestres" mostram o cotidiano e costumes da sua terra, com diálogos naturalistas trazem a vivência de cada extremo.
Pedro Almodóvar prima pelas cores e fotografias sensacionais. A cor magenta é a linha principal, uma cor primária que traz em seu leque nuances latinas, alegres, azul anil, amarelo, verde, laranja... Os seus filmes lembram melodramas, sempre tem travestis na trama principal e um toque de realismo, baseado em fatos reais, sem deixar de ser ficção. É um filme dentro de um filme. Ele toca temas tabus. Nesse filme e em tantos outros tem a atmosfera sexual, latina, quente, humana, de amor, dá sempre uma sensação gostosa. Quando estou desanimada ou em dia de Sol e calor, tenho vontade de ver um filme do Almodóvar.
Ingmar Bergman é um ícone do cinema, que faz de sua bela carreira cinematográfica história.
Seus filmes trazem a atmosfera do seu país, com cores mais sóbrias, mas sem deixar de ter humor.
Diálogos naturais, divertidos, com uma pitada de sarcasmo e ironia.
No enredo traz um homem relembrando a sua tragetória. Os cortes são bem interssantes, com associação de idéias num tom delicado, sutil.
É o segundo filme dele que eu vejo.

Lara Giordana